Sábado, 30 de Maio de 2020 21:15
61 99660-9440
Dólar comercial R$ 5,34 -0.847%
Euro R$ 5,93 -0.914%
Peso Argentino R$ 0,08 -1.391%
Bitcoin R$ 54.705,35 +2.812%
Bovespa 87.402,59 pontos +0.52%
Economia Economia

Falta combustível no Posto Ipiranga

Unanimidade de Paulo Guedes é contestada. Dificuldade de diálogo com o Congresso afeta aprovação de medidas propostas pelo ministro da Economia

07/05/2020 15h14
14
Por: DILMAN LIMA
Ministro da Economia, Paulo Guedes. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Ministro da Economia, Paulo Guedes. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Um dos principais fiadores da eleição do presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Economia Paulo Guedes vê suas propostas ultraliberais perderem força no governo. A não aprovação do congelamento do salário de algumas categorias do serviço público nas medidas de socorro da União aos estados e municípios acendeu o sinal de alerta no Planalto.

Guedes acordou com os senadores que o valor a ser repassado aos entes federativos seria de R$ 130 bilhões, como queriam os parlamentares. Com uma contrapartida: Os salários dos servidores públicos permaneceria
congelado nos próximos 18 meses. Mas a Câmara alterou o texto e o Senado acatou. Assim, a economia caiu de R$ 130 para R$ 43 bilhões.

Ao acatar as emendas propostas pela Câmara, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), conseguiu aprovar seu parecer por unanimidade. No texto, ele retirou do congelamento de salários as categorias “que estejam diretamente envolvidas no combate à pandemia da Covid-19”, como Segurança e Saúde.

Mas também poupou segmentos como o pessoal da Educação. Vitória para o magistério e derrota do superministro. O resultado era esperado, uma vez que Bolsonaro se aproxima cada vez mais do Centrão. Como cada parlamentar representa uma classe ou uma localidade específica, é natural que defenda os interesses de suas bases eleitorais. Para ficar bem com eles, o presidente tem de ceder aos seus pedidos e, na outra ponta, nomear seus aliados para cargos estratégicos.

Congresso – Nos bastidores, chamam atenção as críticas ao ministro. O deputado Marcelo Van Hattem (Novo-RS) usou o Twitter para questionar a retirada das categorias do reajuste: “Paulo Guedes não era o Posto Ipiranga?”. A mensagem soa como um indicador de que o mercado financeiro – representado no Parlamento pelo Novo – já não está tão alinhado com o ministro.

O ex-ministro do Comércio Exterior e presidente nacional do Republicanos, Marcos Pereira (SP), que compõe o Centrão, publicou mensagem aos filiados de seu partido: “É preciso parar de ideologizar sobre política industrial como se fosse um tipo de marca registrada de governos socialistas”. Nas entrelinhas, uma cutucada em Guedes.

Liberal? – O principal plano do governo para tentar superar a crise causada pelo novo coronavírus, o Pró-Brasil é, na verdade, um pacote de obras públicas para aquecer a economia. Exatamente o contrário do que pregam liberais como Paulo Guedes. O Pró-Brasil, inclusive, foi chamado, internamente, de PAC 3, numa alusão ao Programa de Aceleração do Crescimento, que teve duas etapas durante o governo petista da ex-presidente Dilma Roussef.

Chamou a atenção, em seu lançamento, a ausência do Posto Ipiranga na cerimônia de apresentação do programa, conduzido pelo ministro da Casa Civil, general Walter Braga Netto. Ficou evidente que Guedes não concordava com a iniciativa, embora ele ainda não tenha dito isso publicamente.

Diante de tantas evidências desconforto, são fortes as especulações de que Paulo Guedes é o próximo da fila a pedir o boné, desde as saídas de Henrique Mandetta do Ministério da Saúde e de Sergio Moro, da Justiça. E o risco se torna ainda maior por ser, agora, o ministro de maior prestígio na Esplanada dos Ministérios. Em tempos de Bolsonaro, isto é um perigo…

Brasília - DF
Atualizado às 21h15 - Fonte: Climatempo
18°
Alguma nebulosidade

Mín. 10° Máx. 26°

18° Sensação
4 km/h Vento
64% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (31/05)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 10° Máx. 26°

Sol com algumas nuvens
Segunda (01/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 10° Máx. 27°

Sol com algumas nuvens